05 maio 2014

Pastorisa

Para ela o mais importante é a liberdade. Talvez esteja relacionado com a data de nascimento (25 de novembro de 1975). Diz estar a aprender a não dar importância ao que pensam dela e do que ela pensa. Uma espécie de liberdade de pensamento, como a do corpo. Vê o ser humano como abrir gavetas de si mesma, quantas mais abrir, melhor se conhece. Naquele olhar o tempo parou, apenas para arrumar o vestido no corpo.

Alda Gonçalves, 46 anos, Porto
Desafio nº 65 – chamavam-lhe Pastorisa

Sem comentários:

Enviar um comentário