12 maio 2014

Perdão

Ela acompanhava-me como se nada tivesse acontecido, mas eu percebia na sua face a mágoa.
Quis pedir-lhe perdão, mas as palavras atrapalharam-se dentro de mim, criando um terreno montanhoso que me forçava a percorrer. Jamais havia sentido aquela vontade de me redimir e, em simultâneo, a incapacidade de me desculpar.
Durante algum tempo, segui em frente, andando rápido, procurando ignorá-la.
De repente, como num passe de mágica, deixei que um «desculpa» preenchesse o ar e então serenei.

Quita Miguel, 54 anos, Cascais

Desafio RS nº 13 – … palavras atrapalharam-se dentro…

Sem comentários:

Enviar um comentário