07 maio 2014

Regresso

Estonteante felicidade, sentimento pleno que me corre nas veias.
Dia de regresso de meu filho para os braços de sua mãe. 
Do meu ventre saíste. No meu regaço cresceste. Com a minha vida te dei proteção. 
Hoje, já homem, e ao fim de uma eternidade de separação, caíste-me nos braços e chorei...
Chorei de alegria, de ver meu filho, e saber que, apesar do tempo, jamais ele esqueceu, o conforto incondicional do abraço apertado de sua mãe.


Graça Pinto, 55 anos, Almada
história sem desafio

Sem comentários:

Enviar um comentário