25 julho 2015

Altruísmo

Os dias já iam longos e a promessa por cumprir.  O jovem casal, que fizera da causa social firme propósito, continuava esperando a ratificação do projecto que iria melhorar as condições de vida dum lugarejo entre montes.
Veio uma chispa, um clarão,  do Ministério.
Esperança e euforia...! Mas, de novo, a porta bateu.
Do poeta transmontano, guardavam os dois o douto conselho: "Enquanto não alcances não descanses". À ilusão não dariam oportunidade.
A aldeia que os aguardasse.

Elisabeth Oliveira Janeiro, 70 anos, Lisboa
Desafio nº 94com clarão, porta a bater e ilusão


Sem comentários:

Enviar um comentário