20 julho 2015

Clara escuridão

Céu de um profuso azul
Adiante um susto,
Um clarão!
  
Bate que bate a porta,
Destravado coração
Sem seta, ou qualquer indício,
Resta o mistério,
Ou simples intuição...
  
Traçar na areia uns riscos
Se o mar chegar...
Solidão...

Mas vale fazer o percurso,
Descalço, sem nada nas mãos.
E se chegar o precipício,
E fugir for quase impossível

Então...
Te joga de venda nos olhos,
Afinal o que é o amor, se não o abismo da ilusão?

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil

Desafio nº 94com clarão, porta a bater e ilusão

Sem comentários:

Enviar um comentário