23 julho 2015

Quem diria...

– E o que sentiste quando ele te disse tamanha barbaridade?
– Passou-me tal clarão pelo olhar que não disse nada, ele percebeu. Além disso, o gesto é tudo. Levantei-me, peguei no casaco e na carteira e saí, batendo a porta estrondosamente.
– Quem diria! Pareciam feitos um para o outro!
– Afinal, ele não me conhece suficientemente bem. Pensar que eu gostava daquilo? Cada vez mais me convenço que o sucesso de uma relação não passa de ilusão. Que deceção!

Ana Paula Oliveira, 54 anos, S. João da Madeira
Desafio nº 94com clarão, porta a bater e ilusão

Sem comentários:

Enviar um comentário