31 julho 2015

Vida nova

O bem não tem preço. Em pensamentos, Belita tabulava o seu labirinto. Naquela biblioteca esperava o publicitário que a salvara.
Teobaldo, moço de Jabuticabal, dono de um tabloide, a salvara, doando medula, a única compatível, livrando do sofrimento, desde o acidente no dia do maldito blecaute.
Aquele, o primeiro encontro pós-recuperação. Tomava café, e colocava no tabuleiro da vida, o passado, e principalmente, futuro.
Seria um dia emblemático. Olhava a vida com a teleobjetiva pelo melhor ângulo!

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil

Desafio nº 95 – o máximo de palavras com BTL

Sem comentários:

Enviar um comentário