08 janeiro 2016

Caos e incertezas

Nuvens encrespadas rasgam o céu azul. Sentado na praia, debaixo daquela chuva, chora a recente perda. O salpicar das ondas vai-se desvanecendo na praia, e nele o sonho, a ilusão, o amor. O vento cortante fustiga-lhe o rosto, com a espuma branca.
Na rua é o caos. Tal como dentro de si. Só tem duas opções: continuar as sessões, ou passar a viver com como fantasma vermelho. É tudo uma questão de escolha. Escolha não. Lenitivo mental.

Alda, 48 anos, Porto

Desafio Escritiva nº 3 – texto com: chuva, vento, amor, azul, vermelho e rua

Sem comentários:

Enviar um comentário