10 janeiro 2016

Decisão Difícil

Convinha-lhe protender o prazo. Não queria, contudo, quebrar o protocolo. Mesmo assim, longe iam os dias da angústia pendular da indecisão. A sua protegida, carecia de resposta.  Impossível protrair a entrega da papelada. Não se podia protelar. E sim, ela queria tanto frequentar aquele curso. E sim, era num país distante... e o seu protector estava relutante. Era muita responsabilidade, sentia ele. Proteccionismo demais, achava ela.
Por fim, sem protestar, conseguiu, ser do curso, mais uma protagonista.

Elisabeth Oliveira Janeiro, 71 anos, Lisboa

Desafio nº 102 – muitas palavras com PROT

Sem comentários:

Enviar um comentário