12 janeiro 2016

Meu amor...

Para nos entreter ao serão, a Avó contava-nos histórias antigas. Como a daquele dia em que, passeando pelo chiado com o Avô, se lembrou de ir fazer uma compra. Deixou-o por momentos sozinho, olhando as montras, com a sua habitual paciência. Quando voltou, enfiou-lhe o braço com ternura, dizendo-lhe baixinho: «Vamos, meu amor:..». Espantou-se porém ao ouvir uma voz desconhecida responder: «Tenho pena de não ser o seu amor, mas levo-a onde quiser...».Tinha-se enganado no marido!

Isabel Lopo, 69 anos, Lisboa

Desafio RS nº 33 – uma história de enganos

Sem comentários:

Enviar um comentário