01 janeiro 2016

Pregação

À meia-noite de Natal,
entre gargalhadas,
rasgar de papéis e exclamações,
um sussurro:
Bem-aventurados 
os que se aconchegam e aconchegam
Bem-aventurados
os que riem e fazem sorrir
Bem-aventurados
os que descansam e deixam descansar
Bem-aventurados
os que abraçam e são abraçados

Bem-aventurados
sois vós que, 
     mesmo não tendo, dais,
     mesmo não podendo, dais
     mesmo sem alegria, mesmo sem forças, dais

Bem-aventurados sois,
não sei se ganhastes o Reino dos Céus,
mas sei que ganhastes tesouros na terra. 

Jaime A., 51 anos, Lisboa


Sem comentários:

Enviar um comentário