11 fevereiro 2016

Sonhos adormecidos

Reergueu-se! A cada tombo que a vida lhe concedia, espreitava a oportunidade de se levantar. Tinha perdido tudo, quase... E quando nada se tem, resta o tudo para se conquistar. E, nessa pequenez pingada no seu destino, percebeu o que a engrandecia. As pequenas coisas agigantaram-se. Os afetos percebidos amornaram o infortúnio. Assombrou-se com o que deixara escorrer por entre os dedos, sem disso dar conta. Assumiu o espanto pela vida e os sonhos adormecidos fizeram-se presentes…


Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada
Desafio RS nº 34 – frase de Mia Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário