23 março 2016

Ideias São Poderes

A poeira já calafetava as janelas, os livros, rebanho tresmalhado, baliam a desdita de escrita entornada pelo chão, as roupas adejavam sem tino nos cabides, a louçaria numa fúria napolitana, habitava o espaço, redesenhando pateticamente a sua orografia.
No rolar dos dias, o caos doméstico foi tomando posse. 
Lília, pragmática e sonhadora, estribou-se na fértil criatividade e, num breve faiscar de fogo-fátuo, ordenou a um imaginário robot multiplataforma, a execução das tarefas. Pensar é poder, é conseguir!

Elisabeth Oliveira Janeiro, 71 anos, Lisboa

Desafio Escritiva nº 6 – poderes mágicos no corpo

Sem comentários:

Enviar um comentário