01 março 2016

Mistérios de boticário

A temperatura estava muito próxima. Os sentidos, aturdidos, tomavam especiais medicamentos. Pós, olfatos, sorrisos. Até tratando, esbaforidas mezinhas punham olhos saudáveis. Alcatrão tisnava emplastros mornos. Paravam os sonhos. Alimento temporal e muito preparado: orgânico seco.
África trocava espinhos mortíferos por orgulho secular. Animais transgénicos estranhos moviam-se para outras savanas. Aceitando ter escolas mais populosas. Ouviam saboreando a tradição. Enquanto morriam prometiam olímpicas soluções.
Além Tejo era mistério para outros sabonetes. Artesanais tinham enxofre. Misteriosos, partilhavam óleos santos.

Alda Gonçalves, 48 anos, Porto

Desafio nº 104 – letras obrigatórias: A T E M P O S

Sem comentários:

Enviar um comentário