01 março 2016

Paradigma ou sequela?

Amanheceu. Tenho este maldito pressentimento. Ontem senti a tua energia muito presente. O sol adivinhava-se translúcido, em mágicas palavras. Observamos sempre a ternura explícita mais perene. Ocultamos, serenos, admiráveis textos e músicas, pinturas; orgulhosos sedimentos antigos, testemunhos estranhos, magias prodigiosas. Olhamos sobre a timidez exemplar mais piedosa. Ondulam sereias além tempestades em mares profundos. Os sonhos abraçam, ternos, estes momentos. Para onde segue a terra em movimento? Paradigma ou sequela? Ânsia transformadora envolvendo maravilhosos paraísos ocultos, secretos.

Paula Coelho Pais, 54 anos, Lisboa

Desafio nº 104 – letras obrigatórias: A T E M P O S

Sem comentários:

Enviar um comentário