20 março 2016

Por tudo

Foram décadas de lágrimas, 
choradas num barco, no meio de um remoinho,
à espera de afundar.
Lutei contra as tormentosas ondas sem saber
se as venceria. E, pela força de Deus,
cada luta superada, vencedora me sentia.
Foi-me a vida iluminada, com a vinda dos meus filhos.
E neles depositei a força, e a esperança da minha continuação.
Pelos sonhos já passados e que são agora lembrados,
pelos netos, já nascidos,
A RAZÃO, DE EU ME ESCREVER.

Natalina Marques, 56 anos, Palmela

Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»

3 comentários: