25 março 2016

Quinta da Foice, foi-se

QUINTA DA FOICE.
O nome não era muito apelativo, mas decidimos entrar.
Havia belas paisagens. A casa ficava perto de uma azenha antiga
onde outrora funcionou um moinho, que agora servia de museu.
Pelo menos, silêncio não falta.
Alguém perguntou:
– Tem internet?
– Não.
– Há televisão?
– Não. Telemóvel, aqui não há rede.
– Mas viemos para o fim do mundo?
– Calma, isto é que são férias, descanso,
ar puro, sossego, queres mais?
– Quero, estou cansado do descanso.
Jerónimo foi-se.

Natalina Marques, 56 anos, Palmela

Desafio RS nº 15 – anúncio de turismo rural

Sem comentários:

Enviar um comentário