08 março 2016

Sem saber

As gotas escorriam pela janela
quando ao de leve, bateste nela
virei-me para ver quem tinha batido,
mas tinhas desaparecido.
Talvez arrependido 
pela traição cometida.
Ainda corri, para te apanhar
senti o coração bater
tão forte que quase saltava do peito
mas não, não tem jeito
nem tão pouco havia razão
para esse teu comportamento.
No fim, não te encontrei
e sem saber fiquei,
se as pancadas na janela
não seriam beijos 
que me mandavas
através dela.

Natalina Marques, 56 anos, Palmela

Desafio RS nº 25 – dedos que batem no vidro (cena)

Sem comentários:

Enviar um comentário