26 abril 2016

Inverno na alma

Não há chuva, entretanto, sutilmente, há frio intenso no clima, na alma do ser que se espreme pelo silêncio, pelo vento cortante da saudade...
Ah! quanto amor desperdiçado invade o azul do céu da alma sofrida!
Fica tudo vermelho dentro da que /muito amou de tanta tristeza contida, de amargor imenso pelo desprezo dos que mais teve afeto nesta vida...
Vai à rua cotidianamente, caminha sem pressa, está só e, em seu isolamento, fica pensando, divagando solitariamente...  

Rosélia Bezerra, 61 anos, Rio de Janeiro, Brasil

Desafio Escritiva nº 3 – texto com: chuva, vento, amor, azul, vermelho e rua

2 comentários:

  1. Boa notie, querida Margarida!
    Muito obrigada pelo carinho da publicação...
    Bjm muito fraterno

    ResponderEliminar