15 abril 2016

Que vai ser dela?

Ela tinha chegado ao COMEÇO.
Não sabia o que fazer. Não queria perdê-lo
mas também não queria perdoar-lhe o erro.
Depois de tanto pensar, e na sua pequena
ARROGÂNCIA, escreveu-lhe aquela carta
muito curta, mas tão dolorida.
Cheia de IRRITAÇÃO descreveu-lhe, toda a sua
intolerante e inconcebível FELICIDADE.
Sempre vivera na sua CLAREZA,
transformou a vida dela de feliz AGITAÇÃO,
numa terrível CALMARIA frustrada.
Que vai ser dela, fez bem?
Ou por outro lado, viverá no arrependimento.

Natalina Marques, 57 anos, Palmela

Desafio nº 55 – reescrevendo um texto com contrários de palavras impostas, escritas num texto prévio

Sem comentários:

Enviar um comentário