24 abril 2016

Segredo

Olhou-se novamente ao espelho e ajustou o NÓ da gravata.
Pediu uma bebida, deixou uma NOTA no balcão,
sem esperar troco. Sentou-se no banco do jardim.
Consultou o relógio, pois esquecera-se de ANOTAR,
a hora marcada.
Chegaria a tempo ao NOTÁRIO, pensava sem 
saber ao certo.
Sentia-se tão pequeno, apesar do porte atlético
que possuía. Tremia de medo que ela não viesse.
Finalmente, chegou. E os dois vão realizar os seus
sonhos da adolescência: Casar em segredo.

Natalina Marques, 57 anos, Palmela

Desafio nº 27 – palavras que crescem (em anagrama)

Sem comentários:

Enviar um comentário