13 maio 2016

Mestre

Absorto, pensava nos segredos da vida plena.
Exercitava-se bem cuidando da saúde.
Fazia-se caminho na mente também.
De repente, um lápis rolou pelo chão.
Os fatores essenciais desviaram-se para o chão.
Alguém apanhou o lápis e guardou.
Voltou-se às conexões vitais da área de descanso.
Nada acontece por acaso.
Quase não percebeu a turma ir embora.
No caminho, contemplou a beleza da criação.
Tudo integrado, o lápis apareceu logo depois.
Jogando as alegrias e desafios do amanhã.

Renata Diniz, 40 anos - Itaúna/Brasil

2 comentários: