27 junho 2016

E o sabor?

Amanhecia! Céu cinzento. Pingolava. Trabalhar? Pouco apetecível. Mas um dia cinzento não servia como justificação. Saí de casa e abri o guarda-chuva para chegar ao carro. Pequenas gotas de chuva caíam, contornavam a copa redonda, caindo paralelamente à vareta. Já dentro do carro, mãos no volante, senti uma mecha de cabelo soltar uma gota que se alojou no centro da testa, escorrendo lentamente até entre os olhos, acelerando vertiginosamente nariz abaixo, espalhando-se entre os lábios. Sem sabor!
Fátima Fradique, 42 anos, Fundão

Desafio nº 91 – cena metafórica de gota de chuva que acaba numa poça

Sem comentários:

Enviar um comentário