30 junho 2016

Ponto de Partida?

Apetece-me suspender as gotículas de suor, não deixar o meu corpo amolecer e embrutecer.
Partir…
Esta fúria impotente, dúvidas, receios gratuitos não são desconhecidos para mim.
Os momentos depressivos são uma amarga verdade…
Quero silêncio, compensar o esforço do trabalho, equacionar a fuga para a frente.
Introduzir algumas roupas numa mala, seguir na carruagem da vida.
Farta de somar e subtrair…
Os meus pensamentos sangram numa espiral irritada, segue-se o apocalipse.
Ponto de Fuga?
Ponto de Partida?
Cristina Lameiras, 51 anos, Casal Cambra

Desafio RS nº 38 – a matemática dos dias

Sem comentários:

Enviar um comentário