12 junho 2016

Uma lista

Abriu o email e leu:
«manda-me as listas até às 20»
Era impossível. Tudo atrasado. E agora as listas. Ignorar. Isso não! Seria desleal. Mas estava muito apertado. Antes precisava confirmar se todos os doentes internados tomavam morfina e em que dose. Foi ver a lista. Fazer listas depende de consultar outras listas. Em breve os doentes deixariam de ser pessoas, passariam a listas, de espera, de alta, de visitas. A vida resume-se a isto, uma lista!
Alda Gonçalves, 48 anos, Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário