30 julho 2016

Observações pela vida

Num hotel lotado, restaurantes cheios, inúmeras comidas, um homem que de tudo reclamava: das músicas, das comidas, mal cumprimentava os funcionários...
Sempre ali com sua esposa e filho.
Carrancudo, mal-humorado e de semblante arrogante.
Vivia aparentemente em grupo, mas era visível sua não adaptação.
Nada o fazia feliz.
Era único dentro de si e aquilo lhe bastava, ainda que nem percebesse.
Seu egoísmo ocupava todo o espaço.
Era solitário onde quer que estivesse. Coitado! Fazia pena ver!
Chica, 67 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil 

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

2 comentários: