10 agosto 2016

Dos comportamentos

Esta é uma pequena estória mas nela cabe, num notável ramalhete, uma família de nove, afins, vizinhos, amigos. Prolificam as antinomias, que é o que equilibra as coisas.  Gente quieta e azougada, feliz e desventurada, saudável e enfermiça, capaz e desajeitada.
Neste singular universo, pontifica a Maria Bernardina, menina de humores variáveis, mas sempre a demonstrar alegria.  Só que, ninguém, a não ser ela, sabia que o que parecia não era:  afinal, a solidão andava bem disfarçada.
Elisabeth Oliveira Janeiro, 71 anos, Lisboa

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

Sem comentários:

Enviar um comentário