15 agosto 2016

Histórias de pescadores

Assim passava a vida o tio António, pescando peixes, pescando sonhos. Além de pescador, era poeta e contador de histórias.
De sorrisinho na boca, saía-lhe sempre uma…
Uma manhã, estávamos vários pescadores no mar, mas só o tio António é que pescava.
– Sai sempre ao mesmo! – dizíamos na galhofa.
Então ele, de sorriso costumeiro, respondeu-nos logo:
– Sai sempre ao mesmo, pois sai…
Não se pode ter preguiça.
Antes de vir à pesca,
Vou sempre rezar à missa!
Domingos Correia, 58 anos, Amarante

Desafio nº 17texto que contém pelo menos uma palavra simétrica

Sem comentários:

Enviar um comentário