10 agosto 2016

Nos meus braços

Hoje caminho pelos lugares de sempre, sem grande movimento, mas com uma intensidade estonteante… e…  de repente alguém tropeça e cai nos meus braços… sinto um vazio, uma amargura, um sentimento frio, mas sem culpa… apresenta-se… ai desculpe… já agora o meu nome é solidão.
A solidão acompanha-me no café para se refazer do susto… fala… fala… fala… eu já há muito tempo que desliguei… levanto-me e digo… um prazer… até amanhã… e cuidado por onde anda!
Sónia Alves, 36 anos, Miranda do Douro

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

Sem comentários:

Enviar um comentário