01 agosto 2016

Sigo o meu caminho

Não sei que dizer da solidão,
é para mim desconhecida.
Tenho quatro netos, marido, filhos, noras,
fazer comida, arrumar a casa,
costurar, bordar, tratar da horta, "UF"!!!
Não sei que é a solidão.
Tenho paz e alegria, 
juntando o amor da família
que me compensa o trabalho.
E porque, no meu coração,
existe amor sincero
nos momentos menos bons,
com jeitinho,
levo as coisas como quero.
Distribuo carinho,
sigo assim o meu caminho,
dizendo adeus, à solidão.
Natalina Marques, 57 anos, Palmela

Desafio nº 109 – solidão no meio de gente

Sem comentários:

Enviar um comentário