05 setembro 2016

Minha doce Rosa

Olho a folha sem saber que escrever...
Como um 
espinho cravado no meu coração, assim é esta tristeza, ameaçando vencer a batalha interior que travo diariamente. 
Minha doce Rosa... Partiste... procuras refúgio... Deixaste-me procurando solução para este problema que, qual martelo, insiste em martelar na minha cabeça.
Sinto-me
 desmembrado sem ti... se tu voltasses...
Alimento esta ilusão... que nossas famílias façam algum tipo de tratado...
Como queria ter-te aqui, junto a mim...
Olho a folha e escrevo...
Carla Silva, 42 anos, Barbacena, Elvas

Desafio nº 110 – 8 palavras obrigatórias

Sem comentários:

Enviar um comentário