23 outubro 2016

Bronca...

Comprei uma rosa para oferecer à minha mãe. Mas tive de arranjar uma solução para um grande problema: não queria que ela se picasse nos espinhos. Sem dó nem piedade arranquei-os. Mas depois do assunto tratado, ficou como um corpo desmembrado. Que raiva! Fui buscar o martelo do meu pai e arrumei-a de vez. Entretanto, ouvi-a ao longe a chamar-me: MIGUEEEL ÂÂANGELO. Já sabia que ia haver bronca! Tive de procurar rapidamente um refúgio para me esconder.
Paula Fialho Silva, 37 anos, Badajoz

Desafio nº 110 – 8 palavras obrigatórias

Sem comentários:

Enviar um comentário