14 outubro 2016

Manta da vida

Locas era uma seca,
Vestida sempre diferente,
Roupinha bem aprumada,
Afastava toda a gente!

Ninguém lhe pisava o calo
Coberto com sapatinho,
soca da moçarada
Não cobria o seu pezinho!

Tinha caracóis brilhantes,
Algumas vezes com laço,
Não deixava a canalhada
Chegar perto do seu espaço!

Cheirosinha e perfumada,
Vestia raios de esperança,
Sentidos e inatingíveis
Aos olhos de outra criança!

Hoje cose, como todos,
Sua manta remendada…
E os rotos, esfarrapados,
Tecem manta delicada ?!...
Maria do Céu Ferreira, 61 anos, Amarante
Desafio RS nº 42 – letras de escola sem escola

Sem comentários:

Enviar um comentário