26 outubro 2016

Recorde de sonhos

Hoje, ultrapassei o meu recorde de sonhos. Que me recorde, não tenho memória de quantos sonhos vou ter. Por isso, e por dever, entendo que hoje atingi um recorde para, em breve, o bater.
Ontem, bati o recorde dos sorrisos que vou dar amanhã, porque amanhã vou ser sorriso, sem o dar a alguém.
Peço à ilusão que me crie mais recordes para pulverizar, e quero que me recorde os mais importantes: tempo de vida e felicidade!
Fernando Morgado, 61 anos, Porto

Desafio Escritiva nº 13 – recordes pessoais

Sem comentários:

Enviar um comentário