26 outubro 2016

Sem juízo...

Pertenço a um restrito número de pessoas únicas; as nº 1.
Sofro horrores pela ignorância obsessiva dos nºs 2 e seguintes. Pensam eles que não sou eu o princípio de tudo. Ah-e-tal, é o verbo; ah-e-tal, é o ovo! Uma ova, é o que é!
Conheço outras vítimas como eu: o número 1 da parvoíce; o primeiro da estupidez; a lebre dos sem caminho.
– Está? É do 111?
– Sim, senhor. Serviço permanente de apoio aos sem juízo.
Fernando Morgado, 61 anos, Porto

Desafio nº 111 – linha de atendimento 111

Sem comentários:

Enviar um comentário