10 outubro 2016

Vexame

A minha amiga era uma miúda frágil, tímida, pouco popular; eu armava-me em seu fiel defensor. Quantas vezes me vi envolvido em pancadarias, com nódoas negras que me valiam ralhetes redobrados lá em casa… Até um dente perdi num dia em que o Chico rasteirou a minha protegida e a fúria me fez atirar uma cabeçada ao valentão, que me respondeu com um soco certeiro. O dente voou e aterrou na mão da senhora professora… Que vexame!
Maria Félix, 53 anos, Gaia

Desafio Escritiva nº 12 – a escola…

Sem comentários:

Enviar um comentário