07 novembro 2016

À tua espera

Um misterioso amor que durou poucas horas, mas as suficientes para saber que queria viver o resto dos meus dias ao seu lado. Conhecemo-nos na bela cidade de Salamanca, Espanha, numa tarde de outono na qual todos os factores espaciotemporais se uniram para que nos encontrássemos. Mas ela tinha que regressar a Paris, a sua mãe precisava dela. De modo que deixamos nosso affaire em mãos do destino. Se encontrares esta carta procura-me, estarei à tua espera.
Irene Canduela Pérez, 23 anos, Santander, prof Paula Pessanha Isidoro (USAL)

Desafio Escritiva nº 11 – mensagem na garrafa

Sem comentários:

Enviar um comentário