01 novembro 2016

Alma escura, eu?!

– Que estupidez essa tua persistência em ficar aqui, com um dia claro, lindo, lá fora! Mexe-te, estúpido! Levanta-te! 
Larga essa esperteza, escura e estúpida, de ficar horas sem te mexeres, no torpor expectante de que um clarão de alegria entre neste quarto escuro
Tão provável como uma formiga esperta conseguir subir os Himalaias em meia hora e mexida caminhada. 
Claro que sou chata! 
Mas também sou esperta e cintilante – a alma escura nunca foi o meu forte!
Teresa Varatojo, 67 anos, Lisboa
Desafio nº 112 – 3x5 palavras no texto


Sem comentários:

Enviar um comentário