15 dezembro 2016

Bem merecido

Dia de limpeza. Custava mas era inevitável. A brancura e a pureza eram mais importantes. Abriu a janela e sacudiu o pó da sua vida. Aspirou os maus conselhos e lavou as intrigas. Respirou. Sentia-se melhor. Espreguiçou-se. Outra vez. Que bom! A casa estava como nova, sem espíritos a espreitarem atrás das portas e a sussurrarem nas janelas. Sentou-se. Sentia-se viva e renovada. Abriu a gaveta. Olhou. Sorriu. Um chocolate. Era seu e merecido. Comeu-o. Adorou! Delirou!
Margarida Vale, 55 anos, Seixal

Sem comentários:

Enviar um comentário