18 dezembro 2016

Emudeceu

Rezingando, assim tecia a vida. Pintava dramas das mais pequenas coisas que lhe aconteciam. Gostava de tudo perfeito, tudo impecavelmente sincronizado. Impunha sempre o seu modo peculiar. Nunca aprendeu a viver saudando a abundância da sua vida. Queria sempre mais. Fez-se mundo em si.
Um dia, olhando as imagens da quotidiana guerra, desceu ao real e percebeu a riqueza que tinha. Com os olhos toldados pelas lágrimas, enxergou o que era viver sem amanhã, sem futuro. Emudeceu…
Amélia Meireles, 63 anos, Ponta Delgada

Desafio RS nº 44 – reflexão em 44, contrário em 33

Sem comentários:

Enviar um comentário