10 dezembro 2016

Mal-habituada

– Tem almoço a contar connosco?
– É claro que não, achas que são horas de avisar?
Estás é mal-habituada, sabes que sempre me viro,
mas agora, chega, acabou.
A partir de agora, avisa com tempo, ou então, desenrasca-te.
Cansei-me de aturar os teus irresponsáveis comportamentos.
Mas, pensando bem, é esta a minha natureza, eu sempre estou lá,
refilo, refilo, mas que importa... Acabo sempre aceitando.
Mas sabe tão bem, ir contra a minha natureza,
de vez em quando.
Natalina Marques, 57 anos, Palmela

Desafio RS nº 44 – reflexão em 44, contrário em 33

3 comentários:

  1. É uma realidade bastante comum, infelizmente.
    algumas mulheres têm este "eterno cargo" de serem as cozinheiras da família para o resto de suas vidas só por terem nascido na condição de mulher. E vai que existe sempre a prole, ou um amigo do peito, ou um vizinho amigo que aparece na hora de encher o bucho na esperança que a comidinha feita chegue para ele. E é sempre a desgraçada da mulher que tem de se virar na cozinha para esticar a refeição que tinha preparado para X pessoas.

    ResponderEliminar
  2. É uma realidade bastante comum, infelizmente.
    algumas mulheres têm este "eterno cargo" de serem as cozinheiras da família para o resto de suas vidas só por terem nascido na condição de mulher. E vai que existe sempre a prole, ou um amigo do peito, ou um vizinho amigo que aparece na hora de encher o bucho na esperança que a comidinha feita chegue para ele. E é sempre a desgraçada da mulher que tem de se virar na cozinha para esticar a refeição que tinha preparado para X pessoas.

    ResponderEliminar