06 dezembro 2016

Venceu

“Direito a ser protegido contra o abandono e a exploração no trabalho”. Que estranha frase, pensou. Vivera numa família onde o amor adoçava as ausências. O trabalho arrancava os pais da sua vida. Não era abandonada, mas sentia o abandono das horas vazias da presença dos pais. Cedo assumira o lugar da mãe. As tarefas não se esgueiravam das suas pequeninas mãos. Fez-se à vida de peito erguido. Venceu! Apenas não foi criança quando lhe era devido…
Amélia Meireles, 63 anos, Ponta Delgada

Desafio Escritiva nº 14 – direitos da criança

Sem comentários:

Enviar um comentário