15 janeiro 2017

Com amor, Daniel!

Daniel corria campo aberto. Passava perna a quem o tentasse ultrapassar. Nos balneários agarrava na toalha e chibatava os colegas... Na sala de aula, escondia-se nas carteiras de trás. Menino travesso ainda tinha coração de oiro. Com conversas e sorriso de fogo brando, o coração de Daniel deixou voar a dor ― sem pena ― e mais um menino confiante se revelou... Traiçoeiro cancro invadiu-lhe a alma. Fogo bravo no amor. Pena densa no peito. Sorriso eterno na memória.
Eurídice Rocha, 50 anos, Coimbra

Desafio nº 1 – palavras impostas: pena, sorriso, fogo

Sem comentários:

Enviar um comentário