19 janeiro 2017

Força do querer

Cambiantes e perfumes aliavam-se às sombras do entardecer, despedindo-se do sol que desaparecia no horizonte. Quase simultaneamente a lua despontava.
Perfeita sintonia da natureza, pena não coincidir com o torvelinho de ideias que a envolviam.
Ultimamente, quando saía do edifício onde trabalhava, deparava-se com uma figura que lhe parecia familiar.
Homem distinto, aspecto perturbado, olhava-a obcecado. 
Hoje iria cumprimentá-lo!
Emocionado, abriu os braços, onde ela sem dúvidas se refugiou.
― Encontrei-te minha filha… eu sabia que era capaz!
Rosélia Palminha, 68 anos, Pinhal Novo

Desafio RS nº 45 – «Eu sabia que era capaz!»

Sem comentários:

Enviar um comentário