15 janeiro 2017

Nem sempre o diabo está atrás da porta

Atrás da minha porta
Tenho uma bruxa pendurada
Se o diabo quiser entrar
Leva logo uma marretada

Foi meu pai que ma ofereceu
E comprou-a lá para o norte
Num passeio que lá deu
E disse que era para dar sorte

Para me trazer uns euros
Que jogasse na raspadinha
Mas só gasto os meus
E de volta nada nadinha

A sorte que eu tenho
Aproveito bem aproveitadinha
Tenho de comer e beber
Na minha pequena casinha 
Ana Maria Troncho, 66 anos, Academia Sénior de Estremoz, prof Zuzu Baleiro

Desafio Rádio Sim nº 3 – um dos provérbios dados no fim

Sem comentários:

Enviar um comentário