10 fevereiro 2017

8 anos

Embora tivesse apenas 8 anos, ela sabia que alguma coisa não batia certo. Ela tinha sempre que permanecer em casa, aborrecida fazendo as suas tarefas, lendo, estudando e via que o irmão mais novo tinha sempre tempo para os jogos, para lanchar. Era injusto! Por este motivo, decidiu ir com audácia ao escritório da diretora do colégio e com uma severa intervenção, digna de um advogado, proclamou: tenho o direito de brincar, não mais deveres, por favor.
Teresa Flores Palacios, 21 anos, Salamanca, prof Paula Pessanha Isidoro

Desafio Escritiva nº 14 – direitos da criança

Sem comentários:

Enviar um comentário