05 fevereiro 2017

Destacar

Eu conhecia perfeitamente os meus direitos, apesar da idade, ninguém me conseguia convencer de que não me podia destacar. Por isso, quando fui a casa da minha avó percebi que estava rodeada de jovens universitários que adoravam prendas, noitadas e música aos berros. Não hesitei um momento: peguei no telefone e marquei o número exato para poder reclamar os meus direitos:
― Sim, é da polícia? Senhor agente chamo-me Diogo, tenho 11 anos e tenho direito a destacar-me.
Diogo Carrada, 6A, 11 anos, Olhão, EB23 Prof Paula Nogueira, prof Cândida Vieira

Desafio Escritiva nº 14 – direitos da criança

Sem comentários:

Enviar um comentário