14 fevereiro 2017

Filho pródigo

Eu vim de longe, de muito longe e penei muito pelo desejo de ver um filme: “O filho pródigo”.
O miúdo resolveu seguir em frente e ir descobrir novos mundos diferentes do seu.
Depois de tempos idos e muito sofrimento, pensou nos seus e regressou com muito desejo que o recebessem de novo.
Houve um belo festejo pelo regresso do filho pródigo.
O filme ensinou-nos como nós devemos viver felizes e próximos dos que nos querem bem.
Adélia Alves, 81 anos, Estremoz, Academia Sénior de Estremoz, prof Zuzu Baleiro

Desafio nº 37 – uma história sem usar a letra A

Sem comentários:

Enviar um comentário