08 fevereiro 2017

Livre

Era um refúgio remoto, tosco, abrigado de ventos, de tempestades, rodeado de rosas de cores variadas. A vegetação densa, perfumada, impedia o acesso, dando-lhe o abrigo necessário, a proteção dos espinhos. Seria um problema atravessá-la.
Quando se sentiu pronto para enfrentar a situação abriu a porta e fez uso do seu martelo para abrir caminho e enfrentar a situação: avançou desmembrando as rosas, de rompante, e passado pouco tempo o terreno estava tratado, desprovido de obstáculos. Livre.
Joana Loureiro, 29 anos, Corroios

Desafio RS nº 34 – frase de Mia Couto

Sem comentários:

Enviar um comentário