04 fevereiro 2017

Salvação Diária

Naquela ambiência de altos pergaminhos, atrevimentos não se admitiam. À empáfia dos patrões, opunha-se a submissão dos criados; à suserania dos inclementes endinheirados, dobravam pacatamente a cerviz os rudes trabalhadores. Porque a prole era grande e o pão urgente.
Ao lusco-fusco começavam a chegar das lides. À espera, umas chispas de lume, algum alimento. Só o cansaço sobrava. O reduto era o sono, que permitia o sonho e que, certeiro, infalível, ia mudando a folha do calendário.
Elisabeth Oliveira Janeiro, 72 anos, Lisboa

Desafio nº 115 – frase de Valter Hugo Mãe

Sem comentários:

Enviar um comentário